Perguntas e respostas

Para facilitar a sua experiência no universo dos produtos de origem amazônica, reunimos em um só lugar todas as respostas às dúvidas mais frequentes sobre o mel de abelhas sem ferrão. 

Tem uma dúvida? Confira abaixo se ela já foi respondida pelo nosso time de especialistas ou nos envie uma mensagem em Contato.

Existem abelhas com ferrão e sem ferrão?

Sim, existem diferentes tipo de abelhas. No Brasil, inúmeros povos indígenas e comunidades tradicionais manejam diferentes espécies de abelhas há gerações. Entre os gêneros, o de maior interesse para os criadores dessas abelhas é o das Melipona.

Por apresentarem o ferrão atrofiado, as Melipona são comumente conhecidas como abelhas sem ferrão. Esta é uma das principais características que distingue o gênero Melipona daquele mais comumente criado no Brasil, do gênero Apis (da tribo Apini), cuja cultura produtiva chama-se apicultura e cuja origem é dos continentes africano e europeu.

Até 1839, só existiam no Brasil as abelhas sem ferrão  (também conhecidas como indígenas ou nativas). Foi o Padre Antônio Carneiro que importou, nesse ano, para o Rio de Janeiro as abelhas do gênero Apis, no caso a Apis mellifera mellifera, também conhecida como abelha alemã.

 

Entre os anos de 1870 e 1880, especialmente na região sul do Brasil, iniciou-se também o manejo das abelhas conhecidas como italianas (Apis mellifera ligustica).

Em 1956, chegaram ao Brasil as abelhas africanas que, ao fugirem de um ambiente de pesquisas, multiplicaram-se no território brasileiro e na América Latina, cruzando-se, inclusive com as abelhas Apis mellifera. Esse encontro originou às abelhas africanizadas, presentes atualmente em todo o Brasil.

Qual a diferença entre o mel de abelha comum e o mel de abelha sem ferrão?

O mel de abelha mais encontrado no mercado é produzido por abelhas “exóticas” ao território brasileiro. São abelhas do gênero Apis (com ferrão), com a predominância do híbrido Apis mellifera L., mais conhecida como abelha africanizada. O mel de abelhas “nativas” (abelhas sem ferrão) é produzido por abelhas dos gêneros: Melipona, Scaptotrigona, Frieseomelitta etc.

 

A grande diferença entre os méis das abelhas nativas e exóticas está na densidade, que varia de uma espécie de abelha para outra; no sabor, menos adocicado e levemente ácido; na diversidade de colorações que trazem mais características da localidade onde foram extraídos; e no aroma, que geralmente remete às floradas de origem.

 

De modo geral, o mel das abelhas nativas é um produto ecorregional, ou seja, obtido por espécies de abelhas nativas endêmicas de uma área definida ecológica e geograficamente. Endêmico quer dizer que aquela abelha é só encontrado naquele ambiente. 

Em termos nutricionais, há diferenças entre o mel normal e o mel das abelhas sem ferrão?

Em comparação ao mel de abelhas apis, o mel das abelhas sem ferrão tem basicamente as mesmas propriedades nutricionais que atraem esportistas e quem busca uma alimentação saudável. Porém, o mel de abelhas sem ferrão apresenta maior quantidade de polifenóis (antocianinas) e propriedades antibióticas. As antocioninas são grandes antioxidantes e grandes aliadas na manutenção de células jovens.

 

Além disso, os méis de abelhas nativas vêm atraindo a atenção de chefs de cozinha e especialistas da gastronomia por suas propriedades organolépticas* únicas, sendo muito utilizados na composição de pratos tanto salgados como doces, e bebidas.

 

*As propriedade organolépticas são as características que podem ser percebidas pelos sentidos humanos, como cor, aroma, sabor e consistência.

Qual a diferença entre os potes de méis da Peabiru Produtos da Floresta?

Cada lote de nosso mel é um ativo único da biodiversidade brasileira e tem uma história própria que se origina na conservação das florestas e ambientes naturais, e na valorização de seus povos e comunidades tradicionais.

 

Nossos méis são produzidos por diferentes espécies de abelhas sem ferrão da Amazônia e vêm de diferentes territórios e populações amazônidas. Em cada pote você encontra a espécie de abelha produtora e a origem territorial do seu mel, para que possa conhecer a trajetória de conservação do produto que está consumindo.

Como posso conhecer as propriedades de cada mel?

Realizamos com apoio de especialistas em gastronomia avaliações sensoriais de cada mel da nossa linha. Acesse a avaliação sensorial dos méis Peabiru Produtos da Floresta realizada pelos especialistas da Reenvolver e conheça mais sobre suas características sensoriais.

 

Apesar de únicos, os diferentes méis da linha da Peabiru Produtos da Floresta têm em comum o sabor predominantemente floral e levemente aromático, com sutil acidez e coloração clara.

Veja também a Tabela Nutricional do mel aqui.

De onde vem o mel de abelhas sem ferrão da Peabiru Produtos da Floresta?

O mel é produzido anualmente, em safras, quando a produção é colhida por diferentes grupos sociais na Amazônia.
Nas safras 2018 e 2019 o mel da Peabiru Produtos da Floresta foi colhido em quatro municípios: Almeirim e Curuçá, no Pará; e Barreirinha e Itapiranga, no Amazonas. 


Cada mel tem origem em um tipo de vegetação amazônica. Nas várzeas, matas de igapó, florestas de terra firme, manguezais, campos inundáveis e campos naturais, charcos e capinzais. As safras podem variar significativamente de ano a ano, em função de condições naturais, como secas, chuvas, o que impacta na disponibilidade de pólen e néctar para as abelhas.

Há méis mais claros e méis mais escuros? Qual a diferença entre eles?

Como um produto silvestre, a coloração de cada mel de abelhas sem ferrão varia de acordo com as flores em que as abelhas produtoras coletam o néctar. Assim, as diferentes cores das flores nas paisagens onde as abelhas circulam irão resultar em méis mais claros ou mais escuros, com sutis diferenças de sabores correspondentes a cara território de origem.

Para conhecer mais sobre os territórios onde nossos méis são produzidos e seus sabores acesse a análise sensorial elaborada pela empresa Reenvolver, especializada em produtos da biodiversidade brasileira.

É possível vender o mel de abelhas sem ferrão em supermercados, empórios, etc? Ele possui algum tipo de inspeção e/ou certificação?

Sim! O mel de abelhas sem ferrão da Peabiru Produtos da Floresta tem registro no Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (o MAPA), responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal no mercado brasileiro. Esse selo permite e atesta que nosso produto pode ser comercializado em todo o território brasileiro.

Meu mel cristalizou, há algum problema com ele?

Não, esse é um processo inteiramente natural. A cristalização é resultado da condensação de glicose que tem uma tendência de se separar do resto da solução e formar cristais, ou seja, a cristalização do mel é natural. Ocorre especialmente em méis produzidos em ambientes de rica diversidade de plantas, como é o caso da Amazônia, e quando armazenado em temperaturas baixas.

Assim, ao contrário do que muita gente acredita, a cristalização é um indicador de que o mel é verdadeiro e de boa qualidade. Para retornar o mel cristalizado ao seu estado líquido, basta colocá-lo em banho-maria a uma temperatura que não ultrapasse 45º C. 

Qual a validade do mel de abelhas sem ferrão?

O tempo de validade do mel de abelhas sem ferrão é de 2 anos. Não é necessário manter na geladeira para conservar. Nesse período é possível consumir o mel normalmente com seu sabor e propriedades conservadas.

Crianças menores de 1 ano podem consumir o mel?

A ANVISA recomenda que crianças até 1 ano não consumam mel de nenhum tipo, pois seu intestino ainda está em desenvolvimento e não possui as defesas necessárias para lidar com eventuais microorganismos, estando mais vulneráveis à infecção.

® 2020 Instituto Peabiru. Desenvolvido por forminform